18 de março com seus três anos de blog e um mês fora da casa dos pais

A primeira coisa que venho dizer é que é impossível falar tudo o que eu quero em um só post, então provavelmente eu vou retomar esses assuntos depois, isso se por acaso eu continuar com o blog. Pois é, agora já entramos no assunto delicado de continuar ou não com essa parada aqui que faz 3 aninhos hoje.

Tá, mas por que disso?

Caso alguém não tenha percebido, eu larguei o Quase à Toa sem mais nem menos no fim de Janeiro. Não foi porque eu terminei meu namoro de 4 anos, não foi porque eu entrei pra faculdade, não foi porque eu mudei de cidade, não foi porque eu tive que resolver mil coisas e nem porque eu fiquei uma semana sem computador. Claro que tudo isso influenciou o desenrolar da minha vida pessoal de uma maneira bem forte, e como esse blog na teoria é nada mais do que um reflexo da minha vida, tudo isso teve uma pontinha de culpa na minha decisão de foda-se toda essa merda.

Sim, foi exatamente isso. Pessoas que tem blogs, canais, livros, trabalhos paralelos, projetos pessoais ou qualquer coisa na qual o tempo livre seja investido, provavelmente vão passar por uma situação parecida em algum momento da vida: a sensação de estar se dedicando a algo que parecia ser super importante pra você, mas que agora não passa de uma pilha de entulhos. Você simplesmente se sente tão insatisfeito que nem sabe onde, como e quando as coisas deixaram de te trazer orgulho e passaram a te trazer desgosto. Perdi a vontade de postar (qualquer coisa que fosse), perdi a alegria de ler comentários e responder pessoas no facebook, perdi qualquer sentimento de interesse nas coisas que antes me ligavam tão fielmente a esse blog. Fui empurrando com a barriga até largar tudo na primeira esquina que virei.

Mas o pior de tudo é que eu perdi minha identidade.

Isso aqui não sou eu. Um dia talvez realmente foi - em alguns posts continuou sendo - mas no geral o que eu vejo nessas páginas e páginas de conteúdo são pedacinhos de Juliana que não se encaixam. Não se identificar com algo que você mesmo faz é a pior sensação do mundo. Começou a me incomodar de uma forma tão grande que eu simplesmente parei, não sei se quero mudar e continuar, não sei se quero excluir tudo, não sei se é só mais uma das minhas mil fases... A questão é que hoje se completa o terceiro ano que passo por trás dessa miúda página perdida na internet, e é o primeiro momento em que eu realmente penso em jogar tudo fora.

Fora esse pequeno detalhe, que já rendeu mais parágrafos do que deveria, hoje também faz um mês que saí da minha cidadezinha pacata do interior de São Paulo pra viver na capital catarinense, Florianópolis. Se existiu algum mês mais confuso e cheio de experiências diferentes na minha vida, com toda certeza apagaram ele da minha memória. A mudança é grande em todos os aspectos, mas era um choque necessário, eu acho. Se não era necessário pelo menos está sendo mais produtivo do que qualquer conforto em permanecer na inércia.

Sair do conforto, um bom tema pra anotar ao lado dessa data. Dessa e de todas as próximas, eu espero.



16 comentários:

  1. Oii Ju
    Notei que tinha sumido!! Eu estava meio perdida dias atrás daí resolvi repaginar todo meu blog e trocar de nome e deu certo! Talvez voce esteja mudando por dentro e só quer que o blog te acompanhe :)

    www.chaeamor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quero muuuito repaginar... trocar de nome não passa na minha cabeça ainda, mas quero dar um reset em todo o resto sabe.

      Excluir
  2. Eu perdi minha vontade para blog ano passado, tudo parecia tão estranho, mas aos poucos foi voltando ao normal, mas mesmo assim demorei bastante pra voltar já que era época de vestibular e que por sinal, vai me render uma passagem pra longe da casa dos meus pais também, são fases da vida, que nos vão render bons aprendizados!

    Beijos,
    http://www.girlbeinggeek.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na época do vestibular eu tbm me afastei do blog, já faz um tempo que to com esse incômodo pra falar a verdade, mas só agora foi a gota d'água. Bom, boa sorte aí com a sua mudança. <3

      Excluir
  3. Olha Ju isto é mais normal que parece, essas fases... tenho blog a 7 anos, nem sempre levei a sério nem tantos seguidores eu tinha era mais pra desabafar, já troquei de nome diversas vezes, já abandonei diversas vezes, já passei por todo tipo de coisa, inclusive achar que o que eu fazia não tinha nada a ver comigo, mas aí fui entendo que o blog deveria mudar junto comigo e deu tudo certo, tenho meus leitores pouquinhos mas fiéis que gostam do que escreve e ainda continuo tendo minha válvula de escape, sabe, VAI PASSAR... o mesmo motivo que te fez escrever e ter um blog ele ainda tá aí dentro de você, você só precisa de um tempo para se organizar! Beijo e desejo tudo de bom para você!

    http://nostalgiavital.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, valeu pelo conselho. Eu tbm espero que passe logo, provavelmente é só mais uma das fases mesmo... mas por nunca ter chegado a esse ponto de querer abandonar de vez eu meio que assustei. Enfim, obrigadaaa! Tudo de bom pra vc tbm. :3

      Excluir
  4. Love them all post is one of my all time favourites. I have been wanting to try the your blog too! T-shirts coupons abhair coupons.

    ResponderExcluir
  5. Eu criei o meu blog com a intenção mesmo de ter algo legal na internet e com minha cara, eu já tive um blog antes, mas eu falava sobre meus ídolos e achava super legal fazer todo o design do blog, páginas complementares, ler comentários legais e ele cresceu muito. Aí muito tempo depois eu resolvi criar um blog mais pessoal, e tenho que dizer que é muito mais difícil. Eu frequentemente fico desanimada, por me sentir perdida, por achar que eu poderia estar sendo mais eu, por não ver tanto retorno ou não ter tantas coisas para implementar o conteúdo, como fazer diys ou looks do dia e etc.
    Mas falando de você como sua leitora, eu senti bastante falta do seu blog. Dentre todos os que eu leio, eu acho que o seu foi sempre o mais honesto em relação a tudo, e o que sempre teve o melhor conteúdo. A fase que você está agora é bem difícil, mas quem sabe contar o que está acontecendo com você não seja uma boa forma de dar uma nova vida ao blog? Você pode mudar ele junto com você e quanto mais ele se parecer com você, mais as pessoas irão gostar, elas vão ver que não tem nada forçado.
    Espero que você supere isso e tenha muita sorte nessa nova fase de sua vida. Beijos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, você não sabe como ler comentários como esse faz a diferença pra mim! Obrigadaaa pelo apoio!
      Quero muito mudar ele junto comigo como você disse, mas ainda não sei o que vai virar... espero que tudo se ajeite logo.
      Enfim, obrigada mais uma vez. ♥♥♥

      Excluir
  6. Olá. Pensando um pouco no que você escreveu:

    Em meio a tantas mudanças, cabe agora estar atenta e sensível a situações que te estimulem. Até mesmo se perguntando, o que quero fazer com esse espaço? Como quero que esse espaço seja tomado? Como quero que ele funcione? Assim como no geral. Estar em contato com o que valoriza.

    Quanto ao não se identificar com o que escreve ser uma sensação ruim, talvez o ideal seja pensar em como as coisas que aconteceram te tornaram quem és, fazem parte de você, elas não precisam te identificar.

    Quanto perder a identidade, deixar certas coisas para traz, bom, parte do que temos pela nossa identidade, não passam de regras e comportamentos que passamos a seguir e que em algum momento podem nos trazer sofrimento. Ou seja, são apenas formas que acreditamos aparentemente serem verdadeiras, não são a verdade. Talvez você não devesse dar tanto credito a essas sensações. Não agir contra elas. São apenas crenças. Se pergunte e se esse meu pensamento fosse apenas uma crença e não a verdade?

    Quando mudamos a forma de nos vestir para integrar novas experiências, nossa relação com nossos valores (coisas que apreciamos) definem nossa identidade (até mesmo o modo de se vestir) e não as experiencias que não cabem mais.

    Parte do processo de crescimento pessoal é estar em contato com nossos objetivos de modo e não criticar os acontecimentos, mas integra-los como parte (inevitável) de alcança-los, de estar de acordo com eles.

    Acredito que sim, as coisas que aconteceram tiveram uma grande influencia no abandono do blog. Desvincular-se de determinados aspectos pode realmente ser confuso e desmotivador. Mas igualmente positivo.

    Também achei muito sincera sua postagem.

    Não sei o quanto ficou claro o que eu disse, mas qualquer coisa posso responder. E até mesmo falar de algumas estrategias de como eu lido com os conflitos.

    Espero ter sido útil, senão desconsiderar. Até uma próxima.

    p

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, apesar de tão confusas e desmotivadoras, continuam sendo mudanças positivas e oportunidades de reflexão.
      Acho que, no fim das contas, consegui lidar bem com isso... Até porque já estou de volta.
      Obrigada!

      Excluir
  7. Me identifiquei muito com o seu post,estou passando pela mesma fase que você de grandes mudanças e de repente meu blog não fazia mais sentido e nada do que estava nele parecia ser eu,foi então que comecei a excluir tudo até criar outro do zero,mas novamente me vi jogando tudo fora outra vez por não estar satisfeita (e nuca vou estar!) Estou tentando voltar ao mesmo gosto de ser blogueira mas já não tenho mais aquele amor todo do início de receber comentários e respondê-los e ficar feliz com os números crescendo,e nada disso tem tanta importância como já teve antes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso! Agora já voltei a postar, pretendo excluir alguns posts também mas não chegar a criar tudo do zero... mas é tão bom saber que tem gente que me entende e compartilha do mesmo sentimento sabe. Me sinto mais "em casa" assim. ♥

      Excluir
  8. Cá estamos nós, na mesma situação.
    No meu caso sempre levei o blog como um hobby, já que não tenho nenhum tipo de retorno financeiro por parte dele, porém agora que estou na faculdade percebo que não tenho tempo suficiente nem mesmo de curtir meu principal hobby (ler), então imagina para o blog. Não gosto de postar por obrigação, tanto é que passei dois/três meses desaparecida do blog. Pretendo continuar assim, postando quando o tempo e minha vontade permitirem, pois um hobby deixa de ser hobby quando fazemos por obrigação né.
    Espero que consigas conciliar teu blog com a nova vida e que siga firme e forte na facul, boa sorte pra nós <3

    Beijos!
    falandocomaali.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Quem tem blog como nos entendem esse sentimento, mas ele passa e vc vai ver que é uma coisa que vc realmente gosta, nao pare nao, seu blog e de sucesso, e essa fase passa.

    Momentoprimavera.blogspot.com

    ResponderExcluir

 
- ww4 - bid3